Uma metodologia para controle de odores

Autores

  • João Baptista Galvão Filho Engenharia de Controle da Poluição Ltda

Palavras-chave:

controle de odores, poluição do ar, fabricação de celulose, emissão de compostos de enxofre

Resumo

As fábricas de celulose foram durante muito tempo consideradas não saneáveis, ou seja: mesmo utilizando-se da melhor tecnologia prática disponível para o controle de suas emissões odoríferas, principalmente de ácido sulfídrico e metil mercaptana, não equacionavam o problema do odor perceptível na circunvizinhança. Tomando-se como base uma unidade de celulose localizada em São Paulo, foi possível implantar um plano para resolvê-lo. Este plano compõe-se de duas fases: a de definição do problema e a de controle das emissões. A questão-chave reside em definir o que vem a ser, do ponto de vista econômico, um nível de odor suportável pela comunidade vizinha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Baptista Galvão Filho, Engenharia de Controle da Poluição Ltda

Engenheiro Químico, Sanitarista, Mestre em Ciências de Engenharia Ambiental pela Universidade de Cincinnati, consultor de Meio Ambiente do Grupo Ripasa e diretor da empresa BCP -Engenharia de Controle da Poluição Ltda

Downloads

Publicado

1988-01-01

Como Citar

GALVÃO FILHO, J. B. Uma metodologia para controle de odores. Revista Ambiente, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 51–54, 1988. Disponível em: https://revista.cetesb.sp.gov.br/revista/article/view/57. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos