Sensibilidade de Daphnia similis

controle de qualidade de culturas

Autores

  • Pedro Antônio Zagatto CETESB

Palavras-chave:

controle de qualidade, Daphnia, dicromato de potássio, teste de toxicidade

Resumo

Com o propósito de avaliar a sensibilidade dos organismos utilizados em testes de toxicidade, foram realizados, no período de 1981 a 1985, testes com Daphnia similis, com a substância de referência dicromato de potássio. Através dos dados obtidos, estabeleceu-se uma faixa de aceitabilidade de dados que compreende valores de CE (1) 50; 24 horas, entre 0,04 mg/1 a O, 17 mg/1. Conseqüentemente os valores obtidos fora desta faixa indicam que, sob as condições definidas no método, as culturas de Daphnia similis não devem ser utilizadas em testes de toxicidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Antônio Zagatto, CETESB

Biólogo do CETESB

Downloads

Publicado

1988-06-01

Como Citar

ZAGATTO, P. A. Sensibilidade de Daphnia similis: controle de qualidade de culturas. Revista Ambiente, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 79–83, 1988. Disponível em: https://revista.cetesb.sp.gov.br/revista/article/view/74. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos