Técnicas de recuperação de pingüins oleados

Autores

  • Edison Barbieri Universidade São Francisco
  • Carolus Maria Vooren URG

Palavras-chave:

pingüins, óleo, tratamento, recuperação

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo fornecer informações básicas de como atuar com pingüins "oleados" (petrolizados), bem como qualquer ave nesse estado. Nos invernos de 1985 a 1989, foram tratados 84 pingüins Spheniscus magellanicus "oleados", na Praia do Cassino, Extremo Sul do Rio Grande do Sul. Dos 84 pingüins tratados, sobreviveram 64 exemplares (76,2%) e 20 morreram (23,8%). Num total de 282 pingüins encontrados mortos na praia do Cassino, 82 estavam oleados, indicando, assim, o óleo como causa de 29% da mortalidade dessas aves em costas brasileiras. Um outro dado interessante foi a sobrevivência de 100% dos adultos tratados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edison Barbieri, Universidade São Francisco

Oceanógrafo, especialista em aves marinhas, Professor da Universidade São Francisco

Carolus Maria Vooren, URG

Especialista em Biologia de elasmobrânquios e Ecologia de aves marinhas, Professor Doutor do Departamento de Oceanografia da URG

Downloads

Publicado

1993-01-01

Como Citar

BARBIERI, E.; VOOREN, C. M. Técnicas de recuperação de pingüins oleados. Revista Ambiente, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 18–22, 1993. Disponível em: https://revista.cetesb.sp.gov.br/revista/article/view/136. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos