Tratamento anaeróbio de esgotos domésticos

Autores

  • Sonia M.M. Vieira CETESB

Palavras-chave:

tratamento de anaeróbie, esgoto doméstico, tratamento de esgoto, reator UASB, biodigestor, projeto, operação, granulação, desempenho, custos

Resumo

A péssima qualidade das condições de vida da população brasileira tem como uma das causas principais a carência de oferta de serviços de saneamento. Este fato, aliado à grande concentração urbana existente no Brasil, com uma das regiões metropolitanas mais densamente povoadas do mundo, aponta para a busca de tecnologias compatíveis com essa realidade, levando ao desenvolvimento da aplicação do reator UASB para o tratamento de esgotos. Inicialmente foram realizados ensaios cm um reator UASB de 106e de capacidade, que mostraram a viabilidade do processo e forneceram respostas às principais questões típicas de um novo sistema de tratamento de esgotos domésticos, como seu comportamento frente a variações de carga hidráulica, carga orgânica e temperatura. Tendo--se obtido respostas positivas do sistema que operou com esgoto bruto à temperatura ambiente e TRH = 4h, fornecendo efluente com 57 mg DBO/t', 155 mg DQO/t' e 59 mg SS/l, passou-se à fase de demonstração da tecnologia para sua disseminação. Projetou-se um reator UASB de 120 m' com os mesmos parâmetros do reator 106l e sua operação comprovou os resultados anteriormente obtidos; TRH de 6,5 horas forneceu efluente com 113 mg DQO/l e 48 mg DBO/l e THR de 4,7 horas forneceu efluente com 132 mg DQO/l e 59 mg DBO/l mantendo sempre a média de 45 mg SS/l. Processos de pós-tratamento fornecem o polimento e desinfecção do efluente. Esses resultados mostraram que o reator UASB como sistema alternativo de tratamento de esgotos, oferece uma nova opção tecnológica simples e econômica possibilitando a melhoria das condições de saneamento do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonia M.M. Vieira, CETESB

Química pelo Instituto de Química da USP e  Mestre em Bioquímica pela Universidade de Paris. É química pesquisadora na Cetesb desde 1976 e  Gerente do Setor de Pesquisa de Efluentes Domésticos

Downloads

Publicado

1992-01-01

Como Citar

VIEIRA, S. M. Tratamento anaeróbio de esgotos domésticos. Revista Ambiente, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 16–24, 1992. Disponível em: https://revista.cetesb.sp.gov.br/revista/article/view/114. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos